Testo Mitos presunções e fatos sobre a obesidade

Mitos presunções e fatos sobre a obesidade

Clique aqui e veja como nossos produtos podem ajudar.

Um artigo surpreendente do New England Journal of Medicine, que reuniu um painel de especialistas, detonou muitas de nossas fortes crenças sobre a obesidade e perda de peso.

O artigo diz que os interesses apaixonados e a tendência humana de buscar explicações para os fenômenos observados na experiência cotidiana dos homens contribuem para a formação de fortes convicções sobre a obesidade, apesar de muitas dessas conclusões não serem confirmadas cientificamente.

No restante do trabalho, o artigo trata dos “mitos”, “presunções” e “fatos” sobre a obesidade. Alguns desses assuntos você deve ter lido diversas vezes na imprensa. Apenas as conclusões são o oposto do que você está acostumado a ler em muitos lugares ou ouviu dezenas de vezes. Veja o mais importante:

Mitos

1. Pequenas mudanças podem produzir grandes resultados ao longo do tempo.
Fato: Não, as mudanças reais podem representar apenas 20% do que lhe foi dito.

2. Os objetivos para conseguir perder peso devem ser realistas.
Fato: Há pouca ou nenhuma evidência para afirmar isso, cientificamente.

3. Devagar e sempre: assim você ganha a corrida contra a obesidade.

Fato: Há pouca evidência sobre isso. E, levar essa máxima em conta pode ser contraproducente.

4. Ter tempo para se dedicar à perda de peso é importante.
Fato: Não há nada que comprove essa teoria.

5. Aulas de educação física ajudam a prevenir a obesidade em crianças.
Fato: Os estudos existentes não comprovam a afirmação.

6. Amamentação protege bebês da obesidade.
Fato: Não. Mas amamentar tem outros benefícios importantes.

Presunções (ou seja, “crenças amplamente aceitas que nunca foram provadas nem refutadas”)

1. Fazer um bom café da manhã regularmente (como forma de preparação para o almoço) é uma forma de se proteger contra a obesidade.

2. Hábitos da infância influenciam o peso ao longo da vida.

3. Comer mais frutas e vegetais promove a perda de peso.

4. A dieta da sanfona (quando você perde muito peso e depois recupera todos os quilos rapidamente) está associada com aumento da mortalidade.

5. Comer ‘lanches’ leva ao ganho de peso.

6. O “ambiente construído” (calçadas, parques, etc) influencia nas taxas de obesidade.
Fatos

1. A genética é um fator importante mas ela não determina seu destino. Escolhas pessoais podem mudar seu peso.

2. Dietas “são eficazes para reduzir o peso”, mas não há uma dieta fácil, garantida, ou que garanta uma solução a longo prazo.

3. O exercício é saudável, mesmo se não levar a perda de peso. Ele pode “diminuir” efeitos da saúde prejudicada por causa da obesidade.

4. Exercícios “em doses suficientes” pode ter um impacto na obesidade. Mas isso requer “uma quantidade substancial”.

5. Métodos utilizados para promover a perda de peso deve ser continuados a fim de “manter” essa perda de peso. A obesidade exige uma “gestão corrente”.

6. Para as crianças, os esforços dos pais são fundamentais. Programas escolares e outros não são tão eficazes quando a educação alimentar que vem do lar.

7. Uso de produtos que substituem refeições, esturutrada nas necessidades alimentares do indivíduo, é eficaz.

8. “Alguns remédios! são úteis.

9. Em casos específicos, cirurgia bariátrica é eficaz.

Fonte: Exame.com