Franquias de Alimentação esperam crescer 10%

Clique aqui e veja como nossos produtos podem ajudar.

Segmento de alimentação mostra consistência mesmo durante período de retração econômica.

A Associação Brasileira de Franchising (ABF) anunciou os resultados da Pesquisa Setorial das Redes de Franquias de Alimentação 2014. O balanço anual, realizado pela ECD Food Service, mostra que o segmento de alimentação faturou R$ 25,635 milhões no ano passado, valor correspondente a 20% da receita total do setor. Em unidades franqueadas, o segmento contabilizou 21.720 pontos de venda (PDVs) no ano passado.

O levantamento indicou ainda que o ticket médio variou positivamente 4,9%. Indicando otimismo, as redes pesquisadas têm uma expectativa de crescimento de 10% para o segmento em 2015. A projeção está alinhada com os dados de crescimento do setor no 1º trimestre deste ano. Na recente pesquisa divulgada pela ABF, o franchising cresceu 9,2% no período.

O segmento continua sendo um dos que mais emprega no sistema de franquias. As redes de food service responderam por 158.034 postos de trabalho criados, o equivalente a cerca de 2% dos mais de 1 milhão de empregos diretos gerados pelo franchising em 2014, setor que cresceu no ano passado 7,7% e alcançou um faturamento da ordem de R$ 128 bilhões, de acordo com o balanço anual feito pela ABF. O levantamento apontou ainda que Alimentação permanece sendo um dos mais expressivos e consolidados segmentos do franchising e, isoladamente, é o principal em receita, com maior fatia na composição do faturamento total.

“A pesquisa mostra que o food service é um setor âncora, que cresce mais do que o próprio franchising e percebe primeiro a mudança de comportamento do consumidor e, por ter grande preparo, reage de forma mais rápida”, afirma Claudio Tieghi, diretor de Inteligência de Mercado, Relacionamento e Sustentabilidade da ABF.

Para João Baptista Junior, coordenador do Comitê de Alimentação da ABF, “ano a ano o estudo setorial reflete a maturidade das franquias de alimentação, que traduzem um novo conceito de alimentação fora e dentro do lar, envolvendo novos hábitos do brasileiro e questões como qualidade e saudabilidade no food service. Se alimentar fora de casa é um hábito do consumidor brasileiro que cresce a cada ano e as empresas do setor acompanham a demanda atual que é por uma alimentação mais saudável e a busca da referência da alimentação de casa”, completa Baptista.

Água e energia
A pesquisa Food Service 2015 apontou que o custo médio da conta de água representa 1,02% do faturamento do ponto de venda (PDV). Já o gasto com energia elétrica atinge em média 3,28% da receita da unidade e o consumo de gás, a média de 1,24% do faturamento das marcas pesquisadas.

De acordo com os respondentes, o custo total da mercadoria vendida (CMV) médio foi de 34% no ano passado. Já os custos com mão de obra, tais como salários, encargos e benefícios, representaram 19% do faturamento das redes.

Sustentabilidade, tendências e desafios
No que diz respeito às políticas de sustentabilidade, 81% das marcas pesquisadas declaram adotar ações que atenuam o impacto ambiental de suas atividades. Dessas, 69% praticam o consumo consciente de insumos. Já entre os desafios para as redes está a ampliação do uso de embalagens ecológicas, adotadas por apenas 5% das redes.

Entre as tendências no food service, a pesquisa indica um crescente consumo de alimentos da linha natural. O cardápio com alimentos integrais (23%), orgânicos (18%), dietéticos (11%) e naturais (5%) representa 57% dos pratos das marcas respondentes, contra 48% de alimentos processados que compõem o cardápio.

Metodologia
A Pesquisa Setorial das Redes de Franquias de Alimentação 2015 envolveu uma amostra representativa do segmento de food service: foram 73 marcas, 28,08% de representação da base associada, com 9.134 lojas (48,68% do total de associados) e faturamento de R$ 13,575 milhões. O valor corresponde a 62,85% da receita das 260 franquias associadas do segmento Alimentação em 2014, que totalizou R$ 21,692 milhões.
(Fonte ABF)